Sábado, 29 de Dezembro de 2007

Kung Fu

Filosofia

Corpo firme, mente inultrapassável, expansão, fogo

O ser humano procura ser melhor. A perfeição individual está presente nos primórdios do nosso sentido, da nossa presença, da nossa existência. O conceito de perfeição é dentro do Kung-Fu uma viagem pessoal, de diferenças, acordos e desacordos, de aprendizagem constante, de erro e seguir em frente, de olhos abertos e mente hábil. Cada um à sua maneira. A mente aberta ao conhecimento da viagem/vida é um dos grandes passos para a nossa evolução.

“Mesmo dentro do maior oceano, se mantivermos a boca fechada, morreremos à sede”

O Kung-Fu nasce da nossa entidade como unos, como indivíduos únicos abertos para o universo, Dele bebendo essência e para Ele cedendo resposta. Unicidade, complementaridade: Yin-Yang.

A Flor-de-Lótus nasce das mais tépidas lamas e transforma-se num símbolo de beleza, num símbolo de alargamento espiritual, de divino e de genuíno. Embora as suas raízes estarem no fundo sombrio deste mundo, as suas pétalas estão erguidas na plenitude da luz. Esta flor de fascinantes e formidáveis vibrações está presente em toda a narrativa da civilização oriental. Esta é símbolo do Sol, do renascimento e da criação. Dizia-se no antigo Egipto que foi a partir de uma Flor-de-Lótus que saiu o Sol.

Tal como o homem todos os dias se perde no inconsciente do sono, viajando por mundos fantásticos, submersos por energias inatingíveis, também a flor de lótus se afunda na lama dos pântanos todas as noites para voltar a renascer na manhã seguinte. Transformação a partir do caos.

Ela é o resumo do material e do imaterial, do mais profundo e do mais elevado, da escuridão e da luz, das restrições da identidade e da universalidade incomensurável, do moldado e do sem figura.

Caos = Universo = Ordem: Yin-Yang

Kung Fu Flor de Lótus

O Kung-Fu Flor-de-Lótus nasce da compilação de vários estilos de Kung-Fu da pesquisa pessoal de Guilherme da Luz, adaptados a si, aos dias de hoje e às pessoas que nele enveredaram desde o seu início em 1995. Este método de Kung-Fu virou-se para um lugar mais interior, dando mais espaço à exploração de uma arte marcial ligada à terapêutica e meditação. Tudo relacionamentos de dentro para fora e não de atitudes guerreiras que vêem de fora para dentro. Aqui faz-se a verdadeira luta. A luta no interior. Com nós mesmos.

Este método de Kung-Fu tem 7 fases principais . Sete tal como os sete primeiros passos de Siddhartha, que mais tarde se tornaria o Buda, donde nasceram 7 flores-de-lótus. Assim, cada passo do Bodhisattva é um feito de expansão espiritual. Cada uma das fases do Kung-Fu Flor-de-Lótus é sinónimo de aperfeiçoamento estético para o físico e para o mental.

Nestas 7 fases principais de combinação de movimentos de braços e pernas, uma viagem de vários estilos abrem portas a uma cena criativa, livre, valorizando a natureza de cada um. O Kung-Fu aplicado àquilo que cada um pode e consegue dar. Sem limitações. A única limitação é fazer igual ao outro. Por isso ser único é a chave. Descobrir o movimento e a arte que temos dentro nós, aplicadas aos movimentos marciais. Estética versus Lógica

"O homem é como uma garrafa cheia de água, muito bem fechada, lançada no meio do oceano. Tem dentro de si a mesma substância de que é feito o oceano mas a sua mente (a rolha) impede-o de tornar-se uno com essa imensidão" ( Ramakrishna )

Momento

O Momento para existir é agora. O trabalho individual é agora. Não foi, e não será!

Tal como o momento certo de avançar com um punho para o alvo, também a nossa mente age no momento certo para interagir com o que está a nossa volta. Basta perceber a oportunidade. Ter percepção de estar no sitio certo, no momento certo na hora certa.

"Um amor do passado é somente uma lembrança.
Um futuro amor é somente uma fantasia.
O amor verdadeiro vive aqui e agora." ( Buda )

Com vista em posições físicas de correcção anatómica aliada a uma utilização respiratória intensa, todo o corpo se constrói como uma máquina de ligação da nossa mente não tocável, ao Universo também não palpável. Matéria versus a não matéria: Yin-Yang

Sentir o corpo. Falar com ele, entendermos bem aquilo que somos dentro daquilo que temos. Somos nós do corpo ou o corpo é nosso!?

A intenção do Kung-Fu é mesmo desenvolver o amor por viver, por estar vivo, e por sentir estar vivo. Ser criativo com o nosso corpo, sentirmos cada momento que o nosso coração bate. Uma constante forma de amar. Orgasmo permanente e eterno...

Treinos

Kung-Fu Flor-de-Lótus Lisboa

Escola Rainha D. Leonor
Alvalade
Lisboa
responsável: Guilherme da Luz
publicado por Aufgang Luz Nebulosa às 06:07
link do post | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

.Abril 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Orientação Marítima

. Poema

. notas praticamente disper...

. Brand New Heartattack

. looks looks looks

. Rosa

. 3D antecipation

. 2007

. Some portraits

. Let's Dance

.arquivos

. Abril 2018

. Julho 2014

. Julho 2012

. Junho 2012

. Fevereiro 2012

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Setembro 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Setembro 2007

. Junho 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds